Acessibilidade em condomínio



O tempo passa e a acessibilidade dos prédios acaba ficando para trás, adaptações precisam ser realizadas o quanto antes.

O que diz a Lei?

Lei Federal n°10.098/2000:

Art. 1o Esta Lei estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, mediante a supressão de barreiras e de obstáculos nas vias e espaços públicos, no mobiliário urbano, na construção e reforma de edifícios e nos meios de transporte e de comunicação.

I - acessibilidade: possibilidade e condição de alcance para utilização, com segurança e autonomia, de espaços, mobiliários, equipamentos urbanos, edificações, transportes, informação e comunicação, inclusive seus sistemas e tecnologias, bem como de outros serviços e instalações abertos ao público, de uso público ou privados de uso coletivo, tanto na zona urbana como na rural, por pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida;


Os condomínios novos são construídos de acordo com a Lei de Acessibilidade. Já os condomínios antigos devem passar por reformas e adaptações para que possam ter acessibilidade em suas áreas comuns, afinal é um direito de todo condômino.


Algumas alterações que podem ser feitas são:


-Rampas de acesso: seguindo a norma NBR 9050 sobre sua inclinação máxima.

-Aumento da clausura: espaço suficiente para uma cadeira de rodas.

-Adaptação nos banheiros: colocação das barras de apoio em banheiros de área comum.

-Corrimãos: devem estar em ambos os lados das escadarias.

-Piso antiderrapante: principalmente em piscinas e escadarias.

-Elevadores: caso o condomínio não consiga disponibilizar as rampas que sigam a norma NBR 9050.

-Adaptação nas portas: devem ser largas o suficiente para que seja possível passar com uma cadeira de rodas.

-Vagas: separar as vagas mais próximas dos elevadores para os idosos e deficientes físicos.


E claro os funcionários também precisam estar preparados para lidar com esse público.

whatsapp-logo-1-1.png